O PCB antes da stalinização

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Roberto França

A fundação do Partido Comunista do Brasil (PCB), em 1922, foi resultado de um processo de agitação política, da crise da República Velha e da depressão da economia mundial, além, obviamente, da vitória da revolução bolchevique em 1917. 

Os anos 1920 foram uma década de organização da classe trabalhadora e do reordenamento da burguesia em torno de um projeto de industrialização impulsionado pela Aliança Liberal de Getúlio Vargas.

Com o crescimento da consciência política, o anarquismo foi dissolvido e a luta política da classe trabalhadora centralizou-se em torno do PCB. Nos primeiros anos, antes da stalinização do partido, os militantes travaram importantes lutas políticas.

O desenvolvimento industrial de São Paulo, superior em relação ao Rio de Janeiro, produziu uma organização sindical e classista superior em relação às demais regiões. Em São Paulo, além da Semana de Arte Moderna, as principais agitações políticas também tiveram como palco a cidade mais industrializada do País, que seguiu até o início dos anos 1930.

Personagens de importância no partido, como Astrojildo Pereira, um dos responsáveis pela política de derrotas operárias no Brasil após 1924, destilavam críticas aos comunistas paulistas: “a organização do Partido em S. Paulo sempre foi nossa maior vergonha”¹.

Para além das “diferenças” entre estados, as críticas dos fluminenses demonstram a desorganização do PCB nas mãos dos stalinistas.

Figuras importantes como os paulistas Affonso Schmidt, Everardo Dias, Raymundo Reys e João Jorge da Costa Pimenta são raramente abordados na história do “Partidão”. 

O PCB em São Paulo se organizou em torno desses militantes, egressos do movimento operário, que tomou a cidade entre os anos de 1917 e 1921 sob inspiração da Revolução Bolchevique de 1917

Entre os quatro militantes, destacamos João Jorge da Costa Pimenta, egresso do anarco-sindicalismo, que durante sua militância no PCB organizou a seção paulista tendo por base o programa revolucionário do trotskismo.

Notas

1. ANDRETO, Lucas Alexandre. Polo norte do comunismo? Os primeiros anos do partido comunista do Brasil (PCB) na cidade de São Paulo. Revista Hydra; v. 4, n. 8. set. de 2020.

Central de Vendas

Entre em contato pelo WhatsApp  11 99867-9315 ou pelo E-mail jcoadm29@gmail.com

Precisa de ajuda?

Em caso de dúvidas, ou se quiser recuperar seu “Usuário”, envie mensagem para 11 99867-9315 ou pelo E-mail jcoadm29@gmail.com

Faça já sua assinatura digital de Causa Operária:
  • Assinatura Mensal Digital Completa (por quatro semanas) por R$ 11,99 um único mês, você pode optar pela renovação automática, descontando R$ 11,99 todo mês da sua conta.
  • Assinatura Semestral Digital Completa (por vinte e quatro semanas) por R$ 64,99 pagamento único.
  • Assinatura Anual Digital Completa (por quarenta e oito semanas) por R$ 99,99 pagamento único.

Menu Principal

Ajuda, Dúvidas e Televendas