O enorme êxito político da Universidade Marxista

Terminou o módulo I do curso “Brasil: uma interpretação marxista”. Curso continua em Maio
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

No último dia 13, a Universidade Marxista concluiu seu primeiro módulo do curso “Brasil: uma interpretação marxista de 500 anos de história”, onde foram analisados os três primeiros séculos(1500 a 1800) da então Colônia portuguesa. Sobre o conteúdo, é necessário destacar que não se trata de um empreendimento acadêmico, mas um curso político, de formação teórico-marxista.

Houve um esforço de interpretação da história nacional que fugisse do estereótipo da esquerda nacional. Sendo assim, para nós, cada país compreende uma formação original e particular, cada acontecimento é único e não há duas formações idênticas, isso precisa ser ressaltado. Pode haver semelhanças e caber analogias, mas nada irá substituir as peculiaridades do desenvolvimento de cada país.

Um país único

A esquerda nacional busca comparar o desenvolvimento nacional com outros países, como por exemplo os Estados Unidos, uma ideia absurda. A história nacional deve ser vista na sua originalidade, respeitando o fato de que cada país tem suas particularidades.

O desenvolvimento histórico do Brasil se deu em meio a uma verdadeira epopéia, muito mais difícil e complicada do que em outros países. A análise histórica deve se dar sobre o que efetivamente aconteceu.

Procuramos analisar o problema sob o ponto de vista do que realmente aconteceu, sem apelar para nenhum tipo de esquema pré-concebido. O marxismo é um fio condutor para a investigação dos fatos reais, um critério que obedece aos fatos e acontecimentos calcados na realidade. Não se trata de nenhuma teoria alheia a esta compreensão, como querem fazer crer determinados setores da esquerda.

Critério reacionário

O fato é que a esquerda abandonou o critério do marxismo, vale dizer, do desenvolvimento das forças produtivas, e nesse sentido a posição da esquerda é francamente reacionária, pois se opõe a essa concepção, que é do progresso contínuo. O debate sobre a história do País evita tais concepções reacionárias.

A maior parte da esquerda abandonou a ideia de progresso, mas se não há progresso, não faz sentido então falar em socialismo, pois se o desenvolvimento da humanidade não se dirige no sentido da superação do capitalismo, vale dizer, do progresso social, então nada faz sentido. Se a Idade da Pedra é tão boa quanto a atualidade, não há mesmo sentido lutar por qualquer perspectiva progressista, de acordo com a esquerda antimarxista.

Acreditamos que conseguimos um bom resultado, pois a história do País é, em sua natureza, complexa. Nós nos colocamos um objetivo mais modesto, como um ponto de partida para a elaboração da história nacional, em oposição às forças políticas que desejam a liquidação do próprio País.

A próxima etapa

Agora, ao entrarmos no segundo módulo, abordaremos os 200 anos da independência nacional. Temos todos os motivos para comemorar este evento, diferente de outros setores que acreditam não ter havido nada de progressista com a independência, advogando inclusive a ideia de que tudo teria sido uma farsa. Uma concepção tão absurda quanto reacionária, com a qual iremos polemizar, destacando que a independência foi sim um dos fenômenos políticos mais importantes da história nacional.

Portanto, ainda há tempo para as inscrições, pois finalizamos tão somente o primeiro módulo. O curso está apoiado-se em farta e bem documentada bibliografia, exaustivamente pesquisada, organizada e sistematizada, resultado de um longo trabalho coletivo de dezenas de militantes, de uma sólida análise materialista dos acontecimentos. 

Ao se inscrever, você companheiro leitor, trabalhador, operário, estudante, enfim, todos que desejam ter acesso a uma interpretação marxista da formação do Brasil, terá ao seu dispor acesso à biblioteca socialista, participação em grupos de estudo, apostilas, textos, vídeos e todos os demais recursos para garantir aos inscritos o mais amplo conhecimento do tema objeto das aulas.

O curso se estenderá por todo o ano, estando dividido em quatro módulos. Assim, muita exposição seguida de debate ainda ocorrerá. A dinâmica do curso permite que todos possam interagir de forma ampla, sem restrição. Portanto, não adie mais sua decisão, acesse agora mesmo o site da Universidade Marxista PCO (ver QR Code abaixo) e faça sua inscrição, garanta o seu lugar junto aos mil inscritos, no Brasil e em mais de uma dezena de outros países, da Europa, Ásia e América do Norte.

Central de Vendas

Entre em contato pelo WhatsApp  11 99867-9315 ou pelo E-mail jcoadm29@gmail.com

Precisa de ajuda?

Em caso de dúvidas, ou se quiser recuperar seu “Usuário”, envie mensagem para 11 99867-9315 ou pelo E-mail jcoadm29@gmail.com

Faça já sua assinatura digital de Causa Operária:
  • Assinatura Mensal Digital Completa (por quatro semanas) por R$ 11,99 um único mês, você pode optar pela renovação automática, descontando R$ 11,99 todo mês da sua conta.
  • Assinatura Semestral Digital Completa (por vinte e quatro semanas) por R$ 64,99 pagamento único.
  • Assinatura Anual Digital Completa (por quarenta e oito semanas) por R$ 99,99 pagamento único.

Menu Principal

Ajuda, Dúvidas e Televendas