“Jovem eleitor”

Para além do voto, é necessário mobilizar a juventude

Querem convencer a juventude a depositar todas as esperanças no poder do voto. Essa é uma campanha demagógica
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Por iniciativa do Tribunal Superior Eleitoral, teve início a campanha “Jovem Eleitor” 2022. Neste momento, a Suprema Corte é presidida pelo ministro Edson Fachin, notabilizado por ser um dos mais entusiastas apoiadores da operação golpista Lava Jato. Com a campanha, o TSE quer incentivar adolescentes de 16 e 17 anos completos até o dia 02 de outubro, a estar de posse do título de eleitor, aptos, portanto, a participar das eleições. Para motivar a juventude, o ministro chefe do TSE gravou um comovente vídeo, marcado por muita demagogia e hipocrisia.

No vídeo, Fachin ressalta a importância da participação ativa através do voto. Porém, só o voto não é suficiente para atuar efetivamente no campo político. A juventude que se importa com as questões políticas, agudas atualmente, e preocupa-se, principalmente com a necessidade de colocar fim ao regime de opressão, miséria e exploração existente no Brasil tem o dever de se organizar politicamente e isto não significa fazer intervenção artística para quebrar tabus ou “xingar muito” no Twitter. E por falar na rede do passarinho, para coroar esta ação hipócrita, “o TSE liderará na quarta-feira (16), a partir das 10h, uma ação lúdica, educativa, apartidária e voluntária para sensibilizar ainda mais a juventude brasileira: um tuitaço marcado pela hashtag #RolêdasEleições.” como consta na página da instituição na internet.

Em meio a tuitaços, abraçaços, cirandas e rodas de conversa, a juventude nacional, nos últimos dez anos, em sua maioria, afastou-se da luta real, seja por falta de identificação ou por ter sido cooptada por uma “esquerda” que abandonou as mobilizações, as ruas, uma esquerda que segue a cartilha direitista e reacionária do identitarismo imperialista, repetindo, como papagaios, tudo que a Globo e seus derivados dizem.

Essa situação se agravou ainda mais nos últimos dois anos com a desculpa da pandemia. É fato que a pandemia existe, aqui não se nega isso, entretanto, usar a pandemia como pretexto ou justificativa para desmobilizar a luta popular e se esconder no conforto do seu lar, enquanto a classe trabalhadora continua se expondo aos riscos da contaminação para manter os serviços utilizados, em sua maioria, pelas classes mais abastadas, com certeza vai envergonhar muita gente no futuro. Muitos perceberão que, ao contrário de terem preservado vidas, assistiram passivamente mais de 650.000 vidas serem ceifadas em razão da política genocida do governo federal e de muitos dos governadores igualmente criminosos; no mínimo cúmplices da mesma ação criminosa do governo Bolsonaro, que já deveria ter sido derrubado pela ação das massas mobilizadas. 

E isto só seria possível com a luta popular organizada e nas ruas. Nenhum grupo social, na história da humanidade, conquistou direitos ou derrubou fascistas ficando sentado no sofá ou na frente de uma tela de computador disparando mensagens.  A responsabilidade, portanto, é toda dos dirigentes que não mobilizaram a população; e mais, sabotaram conscientemente os atos “Fora Bolsonaro”. Apenas e tão somente o PCO e sua juventude (AJR) alertaram para o fato de que ficar em casa era uma decisão suicida, trágica, especialmente para a classe trabalhadora, para os explorados.

Agora querem convencer a juventude a depositar todas as esperanças no poder do voto. Essa é uma campanha demagógica. Primeiro, porque coloca a culpa no povo, no sentido de que foi o povo que não tirou o título para derrotar o “fascismo” e amplia essa culpa ao jovem que não for à urna. Segundo porque aponta o voto como a solução dos problemas do povo, o que, convenhamos, na atual situação, mais parece uma piada. O que pode mudar a situação do povo e da juventude é a mobilização popular.

Central de Vendas

Entre em contato pelo WhatsApp  11 99867-9315 ou pelo E-mail jcoadm29@gmail.com

Precisa de ajuda?

Em caso de dúvidas, ou se quiser recuperar seu “Usuário”, envie mensagem para 11 99867-9315 ou pelo E-mail jcoadm29@gmail.com

Faça já sua assinatura digital de Causa Operária:
  • Assinatura Mensal Digital Completa (por quatro semanas) por R$ 11,99 um único mês, você pode optar pela renovação automática, descontando R$ 11,99 todo mês da sua conta.
  • Assinatura Semestral Digital Completa (por vinte e quatro semanas) por R$ 64,99 pagamento único.
  • Assinatura Anual Digital Completa (por quarenta e oito semanas) por R$ 99,99 pagamento único.

Menu Principal

Ajuda, Dúvidas e Televendas