Último adepto da corrente literária de Borges, Casares e Cortázar morreu em 2011 aos 99 anos de idade

A solidão, o silêncio e a subjetividade no realismo mágico de Ernesto Sabato

Desiludido com a profissão após os horrores de Hiroshima e Nagasaki em 1945, Ernesto Sabato encontrou na literatura um sentido para a existência
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Ooops! Este artigo é exlcusivo para assinantes!

Parece que você não é assinante do JCO! Não perca tempo veja um dos nossos planos de assinatura e comece já!

É só clicar aqui!

Se você já tem conta, é só entrar, clicando aqui

Ou ainda, você conferir a situação da sua assinatura clicando clicando aqui mesmo!

Menu Principal

Área do Assinante

Entre na sua conta!